Corrida

Novos planos para a corrida 

Boa tarde galera, quem já foi correr aí?

Durante os treinos para o circuito de 10K que eu corri no inicio de outubro, realmente me esforcei e exigi muito do meu corpo, que ainda está se adaptando a corrida de longas distâncias. Além do meu dia a dia onde eu fazia tudo a pé e de onibus (agora ganhei uma bike e tudo está bem mais fácil). Com a junção de tudo isso (e os vários degraus que eu subo diariamente do meu prédio), meu joelho começou a doer e terei que passar por algumas sessões de fisioterapia.

Nessa semana comecei uma planilha nova, além de finalmente decidir o que fazer em relação à corrida.

Decidi participar do Circuito das Estações do final de Novembro, mas dessa vez vou correr na modalidade de 5K.

Estou fazendo a planilha 5K avançado do site da Ativo. Os treinos são mais rápidos do que os que eu tinha me acostumado, mas ainda assim são super divertidos. Aumentou a quantidade de treinos para quatro vezes na semana, e continuo com a musculação nos outros dias. Um dos treinos da semana é praticamente um aquecimento e vou combinar com o dia de malhar abdômen e core.

Hoje tive treino de velocidade alternada, que é sempre meu preferido. Nesse tipo de treino prefiro correr na esteira para ter mais controle da velocidade. Senti também que foi um grande estímulo para o meu corpo, principalmente porque consegui aumentar a velocidade e permanecer por um maior tempo.

Espero daqui para o dia da prova ter diminuído meu pace e ter conseguido lidar melhor com as ladeiras, que são a maior dificuldade pra mim no momento.

Eu percebi que é sempre importante um corredor ter um foco. Desde o início o que me motivou foi ter uma prova em vista, e agora o que eu mais precisava para me motivar a voltar os treinos, também era uma prova.

Vamo que vamo e espero que vocês estejam super motivados aí também.

Beijos para vocês 🙂

 

Anúncios
Turistando

Resenha: Koda Healthy to Go

 

Semana passada fui para um evento no Centro de Curitiba e no intervalo, eu não tinha ideia de restaurante para almoçar. O evento era pertinho da Rua 24 horas, então decidi dar uma passadinha por lá, já que sempre rola algum festival gastronômico com preço barateza. Também não queria comer algo que saísse muito da dieta (dessa vez não trouxe minha tão amada marmita) e encontrei o Koda Healthy to Go.

Koda é um restaurante que fica bem no início da Rua 24 horas. É bem pequeno e aconchegante. Eu, particularmente, adoro prestar atenção na decoração interna dos estabelecimentos e fiquei muito encantada com a organização e com o modelo bem moderno que eles têm. A moça do atendimento foi super fofa e atenciosa com todos os clientes. E o ambiente estava bem tranquilo apesar do horário de almoço no meio da semana.

Pedi o prato do dia, que vinham porções de arroz com cenoura, carne de panela e vegetais. E para aliviar um pouco o calor, pedi um suco verde que estava divino! Tudo isso por 20 reais. 

O restaurante também conta com várias opções de doces funcionais, saladas, frutas e outros produtos veganos, diet, etc. E ainda ganhei um cartão fidelidade (adoooooro)! Saí de lá super feliz por ter comido super bem, por um preço ótimo e super saudável. Super indico passarem por lá quando forem na 24 horas. 

Beijos para vocês 🙂

 

20171019_125630

20171019_125228

20171019_123842

IMG_20171019_123101_539

 

Reeducação Alimentar

Mudanças corporais

Mudanças corporais aconteceram comigo durante toda minha vida. Na adolescência eu era muito sanfona. Passava um tempo muito gordinha e do nada emagrecia. E ia e voltava. Psicologicamente foi uma desgraça porque eu me sentia gorda o tempo inteiro.

Agora está sendo bem diferente. Desde que eu comecei a reeducação alimentar em abril/2016 já perdi quase 10 kg, dessa vez de forma mais gradual, saudável e com acompanhamento nutricional.

Mas lutar contra o próprio pensamento é muito difícil. Quando tem essas mudanças é difícil se acostumar com o “novo corpo”.

Atualmente eu estou no peso ideal para minha altura, e estou em busca de diminuir a porcentagem de gordura e gordura abdominal.

É a coisa mais difícil do mundo! Mas acho que é interessante sempre ter um objetivo e trabalhar pra mudar o que você quer.

Quem corre maiores distâncias seca rápido. Perdi muito peso quando comecei a treinar para os 10K, mesmo comendo o dobro do que eu costumava comer. Achei sensacional inclusive!

Enfim, é um processo lento, necessita dedicação e os resultados a gente vai colhendo aos poucos. As vezes rola um estranhamento, mas é algo que precisa ser trabalhado também. Eu me divirto muito em fazer essa reeducação alimentar, em cozinhar, procurar e inventar novas receitas e espero que vocês que também estão nesse processo, possam aproveitar e se manter firme.

Beijos para vocês 🙂

Turistando

Turistando em Curitiba – MON

Boa tarde pessoal!

Semana passada minha mãe veio me fazer uma visita e fomos em vários lugares legais daqui de Curitiba, e um deles foi o Museu Oscar Niemeyer ou Museu do Olho.

Eu sou muito apaixonada por galerias de arte, apesar de só saber algumas coisas básicas sobre história da arte e não conhecer muito das teorias e estar lá foi realmente muito inspirador. Além de ser um momento de transcendência, onde você procura conhecer um pouco da subjetividade do artista e acaba sendo tocado pela mesma.

O museu tem três andares com várias exposições contemporâneas de diversos autores. Às quartas a entrada é grátis, mas nos outros dias da semana o ingresso inteira é 16 reais e meia 8 reais. Lá é aberto das 10h às 18h, lembrando que é fechado às segundas, então quando vierem para Curitiba é uma boa planejar antes.

Vou mostrar um pouco das minhas artes preferidas do museu e espero que quando forem visitar, possam aproveitar bastante o ambiente e ter uma percepção diferenciada do trabalho dos artistas.

 

DSC_0092

DSC_0093

DSC_0111

Várias peças dessa exposição eram feitas de lego, muito bem construído, fiquei apaixonada!

DSC_0134

DSC_0140

20171011_163721

A China foi o país escolhido como destaque dessa vez, a exposição se chama Vibrations e havia muitos detalhes em todas as peças.

DSC_0183

DSC_0171

DSC_0180

Definitivamente a arte que mais me chamou atenção pela riqueza de detalhes, além de eu ser uma grande passional de moda. 
20171011_163032
DSC_0167
DSC_0190
No térreo do MON, já na saída, tem um café bem aconchegante e bonitinho. Porém achei os preços muito caros e a qualidade não tão boa. Vale mais a pena procurar algum café ali por perto.

Espero que tenham gostado! Beijos para vocês 🙂

Corrida

10K – Circuito das Estações

Boa tarde pessoal, todo mundo correndo animado por aí?

Hoje eu queria contar mais detalhadamente pra vocês sobre os 10K que eu corri no Circuito das Estações – Etapa Primavera. Quem acompanhou pelo meu Instagram viu o quanto eu estava super empolgada e também ansiosa.

Quando eu cheguei lá estava ventando TANTO, um vento bem gelado mesmo. Considerei até correr com a jaqueta, mas eu perco mobilidade e sempre suo bastante. Assim que o sol saiu, ficou mais agradável. No geral o clima estava perfeito, porém a maior parte da corrida estávamos contra o vento, o que dificultou um pouco para aumentar a velocidade.

Eu não conhecia o percurso inteiro, o local fica bem longe da minha casa e eu não tive tempo de dar uma olhada no terreno. Logo não estava bem preparada para todas as subidas (não que eu já não tivesse esperando.. Curitiba não é tão plana). As ladeiras sempre são os desafios dos percursos, é quando você cansa mais e perde velocidade, na minha opinião é o maior saco, detesto!

Como eu me preparei:

  • Tive uma excelente noite de sono (mesmo tendo que acordar 4:30 da manhã)
  • Café da manhã reforçado, mas nem tanto pra não sentir dor na barriga.
  • A roupa que eu ia usar e todos os outros equipamentos já estavam preparados, então não precisei perder tempo ou me apressar.
  • Na bolsa eu levei géis de carboidrato, copo térmico com whey para pós-corrida, cinto de hidratação, fone (tenho grandes dificuldades em correr sem música) e o número da corrida.
  • Fiz uma playlist com o tempo que eu pretendia correr. Foi ótimo pra me guiar e eu ter ideia da estratégia de corrida que eu tinha planejado.

O cenário é encantador, em vários momentos meu desejo era parar pra tirar foto e filmar as casas, os parques e as flores. Aquela sensação maravilhosa de endorfina me invadiu durante o dia inteiro, eu fiquei bem plena.

Não vou mentir, foi bem difícil correr essa distância, porém eu A D O R E I! No final minhas pernas estavam tremendo, canela sentiu, joelho sentiu, mas depois dessa semana de descanso já estou de volta e em busca de um novo desafio. Bora que bora!!

Resultado 10K: 01:00:55 – Pace: 06:05

Registrei alguns momentos, espero que gostem! Beijos pra vocês 🙂

IMG_20170930_175553_869.jpg


20171001_061619.jpg

Dessa vez com look certo: blusa da corrida, legging bem firme (nada de coxas machucadas dessa vez) e tênis Ultraboost W da Adidas (que é meu amorzinho).

20171001_055937.jpg

Cenário sensacional no Jockey Club, esperando a corrida começar.

20171001_083204.jpg

7.jpg

Corrida finalizada + medalha + cabelo parecendo que tomou banho de chuva + super feliz!!

 

Corrida

Minha primeira corrida

A preparação para essa corrida foi de pouquíssimo tempo. Eu comecei a correr em Maio/2017 e esse circuito foi em 02/Julho/2017. Usei a planilha de 5K iniciante de 2 meses da Ativo.com.

Na época minha meta era fazer os 5K em 40 minutos. O outono já tinha começado e eu treinava só na esteira, raramente ia na rua. Também não tinha experiência sobre postura, respiração, tempo, etc. Então eu fazia uma corrida bem aleatória, até que eu percebi que não estava alcançando o tempo e distância desejados só com os treinos da esteira.

No que eu fui pra rua, consegui ter uma noção maior do tempo, do cansaço e do clima. Achei realmente que não ia conseguir fazer no tempo que eu queria. Meu pace estava muito alto e percebi que precisava perder mais peso pra conseguir correr mais rápido.

No dia da prova eu fiquei um pouco nervosa por estar sozinha. Eu retirei o chip e não sabia o que era, só coloquei dentro da minha bolsa e guardei no porta volumes. Um tempo depois eu vi as pessoas colocando aquilo no tênis e fui pegar o meu pra colocar também. Imagina perder a corrida por burrice!!

Na semana antes da corrida o clima em Curitiba estava entre uns 20-25 graus. No dia fez 9 GRAUS! E eu estava de short e camiseta! Teve uma hora que eu peguei nas minhas coxas e parecia que tinha congelado, pense no medo! (Cearense com frio sente medo). Além de que eu não consegui comprar um tênis para corrida (o meu já tinha 1 aninho de idade e estava super desgastado). E ainda senti muita dor abdominal quando aumentava minha velocidade, por não saber como controlar a respiração.

Apesar de todos esses erros, eu senti um prazer imenso! A atmosfera de uma corrida é deliciosa! Todo mundo está realmente animado. Muita gente vai em família, tinha gente correndo com bebês no carrinho, achei aquilo genial. E só pensava o quanto eu queria a próxima e queria treinar muito e não cometer mais os mesmos erros.

Amanhã é a minha segunda corrida, agora de 10K, também no Circuito das Estações, e pretendo finalizar em aproximadamente 1h – 1:10. Vamos ver o que me aguarda.

Beijos para vocês e fiquem com essa foto que estampa a minha felicidade em estar ali. 🙂


TAT_3397.jpg

Fiz os 5k em 36:50 com pace médio de 7:22.

20170702_085833.jpg

E a medalha lindíssima, quero fazer uma coleção.

 

Desabafo

Bads universitárias

Bom dia pessoal, o tema hoje vai fugir das corridas, mas eu senti essa necessidade de escrever sobre isso tanto para quem está passando pelas mesmas coisas, tanto para que no futuro eu possa levar como aprendizado.

Mas a real é que eu ando tentando pensar de forma mais clara como eu me sinto sobre o que eu estou fazendo da vida e principalmente sobre a questão do estresse que a universidade me causa. Não é uma instituição específica, não é um professor ou disciplina específica, mas o ambiente e o conjunto de tudo que vem nele.

Semestre após semestre eu vejo minhas amigas se desgastando físico e psicologicamente com o curso. Todos se esforçam o máximo que podem para conseguir notas boas, cumprir os prazos, e ainda estagiar/trabalhar, levar uma vida normal. No decorrer de todo o período todas estão super cansadas, não conseguiram aproveitar bem as disciplinas, têm raiva dos professores e das metodologias, sem falar na sensação de que nada disso foi suficiente e que no próximo semestre tem mais.

Eu realmente acho sensacional as pessoas que conseguiram estudar/trabalhar com algo não acadêmico e que foram super visionários em relação a isso. Imagina trabalhar com internet? Deve ser sensacional! Infelizmente eu fui ensinada que dinheiro a gente só consegue com estudo universitário e sair dessa linha de pensamento é extremamente complicado.

Ainda sobre o meio acadêmico, eu percebo uma ideologia onde existe uma fôrma e você tem que se virar para se encaixar ali e ser melhor que os outros. Precisa se destacar de algum jeito, o professor precisa notar você para que consiga algo dele. Quem não entra nesse contexto, sofre. E tem que aguentar.

Enfim, eu realmente desejo para todos nós, universitários, que isso passe logo. Que seja recompensado todo o esforço e estresse em algum momento. Meu desejo é que nossa vida pudesse ser mais leve, assim como eu me sinto correndo.

Beijos para vocês 🙂